fbpx

Procurando Categorias:Empreendedorismo

nazca-associa-se-a-bandeira-de-coworking

A incorporadora sempre atenta à modernidade imobiliária aposta em novo modelo de ocupação

A Nazca – incorporadora capixaba que atua com inteligência de mercado, criando empreendimentos inovadores que se integram à cena urbana, valorizando a beleza e a qualidade de vida sustentável – agora, investe em novos negócios que geram valor e oportunidade.

Seu mais novo investimento segue a tendência de um novo mercado que surge, e que após o período mais crítico da pandemia, tem se tornado tendência, o trabalho híbrido e flexível, utilizando novos ambientes. O coworking NaCapital é um desses exemplos e tem uma unidade funcionando na Praia do Canto, em Vitória, e está em projeto de expansão.

Atualmente a Nazca investiu R$1,5 milhão de reais na primeira unidade filial que está em construção, também na Praia do Canto, e a previsão de inauguração é no segundo semestre de 2022. Esse projeto de expansão para os próximos três anos visa atrair R$10 milhões do mercado, incluindo proprietários comerciais. O NaCapital é um coworking a serviço da prosperidade. Capitaneada pelo sócio fundador, Erik Lorenzon – que morou vários anos fora do país e retornou trabalhando na área de novos negócios  de uma grande empresa de construção civil – e por Jairo Siqueira, que também é presidente do Cindes Jovem – os dois sócios, juntos, criaram uma ferramenta para a prosperidade: Um local moderno, cosmopolita e que gera conectividade

Funcionando 24 horas, o espaço proporciona um network entre os vários profissionais que se encontram no local. “Nós olhamos para o escritório com um viabilizador de sonhos e atendemos empresas que querem um status de modernidade”, explica o fundador, Erik Lorenzon. No espaço empresarial é possível ter toda a estrutura de um escritório convencional, porém sem os compromissos habituais. “Temos internet, salas, auditório, mesas, cadeiras, atendente, ambiente climatizado, banheiro e até cozinha com cafezinho, para o profissional liberal ou a empresa realizar uma reunião, trabalhar a quantidade de horas que forem necessárias, temos a flexibilidade de acordo com o que o contratante quiser”, explica o gestor Jairo Siqueira.

Além dos profissionais liberais, algumas empresas grandes têm locado espaços fixos para funcionários de determinados setores atuarem em coworking. “Percebemos um grande fluxo de funcionários que estavam em home office, que não retornaram para as empresas e vieram para o coworking”, explica Lorenzon. A sensação de liberdade, de não estar preso a horários, nem a um ambiente de trabalho convencional e a troca proporcionada entre profissionais motiva. A energia que é gerada, novas ideias, troca de serviços surgem na rotina. “Até happy hours acontecem por aqui e as pessoas se conectam e relaxam com liberdade”, afirma Siqueira. Para Lorenzon, o coworking é uma tendência que veio para ficar no século 21 “Muitas empresas viram que não há necessidade de um espaço fixo, que diversos trabalhadores produzem melhor convivendo com outros profissionais de outras empresas, e do ambiente moderno e prático”, diz.

0 Comentários
Compartilhe
12312