fbpx

Procurando Categorias:Seu Dinheiro

empresarios-capixabas-lancam-plataforma-para-lojistas-e-compradores-de-cafe-que-comercializam-com-barter

O empresário capixaba do segmento de café Eduardo Bortolini e sócios desenvolveram uma startup chamada Conta Café que oferece um processo estruturado de comercialização de café proveniente do barter, modalidade comercial baseada na troca, quando a moeda é o produto e não o dinheiro.

Com funcionamento simples, eficiente e intuitivo, o marketplace cobre todo o processo de gestão da compra e da venda originado nas transações de barter. Inicialmente, as operações estão sendo feitas com o café conilon, mas o grupo tem como meta também comercializar com o arábica.

Em operação há seis meses – em formato de teste e com a participação de alguns lojistas -, o Conta Café viabilizou negócios da ordem de R$ 8 milhões, no período, e resolveu os principais problemas dos dois atores envolvidos nessa cadeia: os lojistas agrícolas e as exportadoras de café.

Para os lojistas, a plataforma atua como eficiente ferramenta de gestão de barter, oferecendo uma série de funcionalidades que potencializam a sua conexão com o mercado gerando, assim, mais valor e segurança para o produtor. “O Conta Café é a única plataforma de comercialização de café de barter com os preços online atualizados diretamente dos traders compradores”, destaca Eduardo Bortolini.

Para os compradores, o Conta Café se mostra uma solução de ponta a ponta, aumentando a capilaridade no mercado e atraindo novos clientes. Tudo estruturado com um forte documental, contrato jurídico e Cédula de Produto Rural (CPR), gerado automaticamente dentro do Conta Café.

 Bons negócios, com segurança

Bons negócios, segurança e funcionalidade foram alguns dos principais objetivos dos desenvolvedores da startup Conta Café. O marketplace foi criado com as melhores práticas de segurança, respeitando todas as leis e normas do segmento, e usando as mesmas tecnologias de ponta da Amazon e do Google, entre outras grandes companhias de tecnologia.

“O Conta Café é um marketplace onde os lojistas e compradores se encontram e fazem bons negócios, gerando valor para as duas pontas. Criamos um ambiente onde todos os envolvidos, com total segurança, podem comercializar o café de barter. O Conta Café atualiza e divulga preços diariamente, recebe ofertas de venda de café e os negocia, aumentando, claro, a possiblidade de novos negócios”, afirma Eduardo Bortolini.

Foram cerca de seis meses operando de forma experimental (MVP) com lojistas capixabas como a Safra Agronegócios, a Linhagro Linhares Agronegócio e a Litho Plant Indústria e Comércio de Fertilizantes. Neste período, foram comercializadas, dentro do Conta Café, 22 mil sacas de café, pelo valor aproximado de R$ 8 milhões.

Para Eric Garcia, sócio-diretor da Safra Agronegócios, o uso do Conta Café aumentou em cinco vezes o número de transações e organizou o processo de gestão e as operações provenientes do barter. Esse volume proporcionou um crescimento de 15% no faturamento total da empresa.

Agora, com a plataforma aberta a novos parceiros, ela começa a ser apresentada para o Brasil e o mundo: uma ferramenta fácil e simples de operar, amigável e altamente eficiente, desenvolvida com arquitetura que atende a requisitos essenciais em marketplaces como este, que são segurança e confiabilidade.

“Após validarmos o Conta Café e concluirmos que ele consegue, de forma rápida, simples e responsável comercializar o café de barter, estamos abrindo a oportunidade para mais lojistas e compradores de todo o Brasil. Importante que os produtores interessados nesta modalidade de negócio procurem as revendas próximas para que possam, com bons preços e segurança, operar com o barter”, reforça Eduardo Bortolini.

Saiba mais:

O que é barter? A operação barter está muito presente no cenário do agricultor e empresário brasileiro por ser um facilitador de negócios, em especial para o pequeno e médio produtor. Dentre as opções de crédito rural, o barter se mostra como uma ótima alternativa para quem quer investir sem ter que pedir empréstimos ou linhas de créditos com alta taxa de juros. Esse mercado representa cerca de 15 % do mercado nacional de café.

0 Comentários
Compartilhe