fbpx
Comportamento, Destaque, Saúde

Estrabismo pode ser desenvolvido após diagnóstico por Covid-19

estrabismo-pode-ser-desenvolvido-apos-diagnostico-por-covid-19

>> Estrabismo e visão dupla foram as queixas oftalmológicas apresentadas após a infecção pelo Coronavírus.

Com a pandemia causada pelo novo Coronavírus (COVID-19), houve um aumento significativo de adultos que desenvolveram visão dupla e estrabismo após a infecção pelo vírus. Sabe-se que o vírus tem uma preferência pelo sistema neurológico, podendo causar uma inflamação em alguns nervos cranianos responsáveis pelos movimentos dos olhos, e com isso, levar ao desalinhamento ocular e consequente diplopia, que é conhecida como visão dupla.

Uma pesquisa publicada no jornal Lancet Psychiatry analisou 236.379 mil pacientes, sendo a maioria americanos, e descobriu que 34% deles acabou diagnosticado com doenças neurológicas ou psiquiátricas nos seis meses seguintes à infecção.

De acordo com a oftalmologista, Hanna Teodoro, do Hospital de Olhos de Vitória, o nervo mais acometido nesses casos de infecção é o nervo abducente (sexto nervo craniano), responsável por fazer o olho se mover para fora, em direção à orelha, mas também pode acometer os demais nervos que comandam os músculos oculares.

“Acontece que com o acometimento do sexto nervo craniano, o paciente irá apresentar estrabismo convergente, que é o desvio para dentro, e visão dupla horizontal, que é quando uma imagem se torna duas, uma ao lado da outra”, explicou a médica.

Hanna deu uma boa notícia que foi a de que felizmente, na maioria dos casos o estrabismo melhora espontaneamente mas, caso permaneça por mais tempo, pode ser necessária alguma intervenção, que inclui tratamento com toxina botulínica ou cirurgia.

A médica deixou uma mensagem de alerta para os pacientes infectados. “Após acabar o período de isolamento (10 dias após início dos sintomas ou do PCR e sem sintomas por 3 dias), é muito importante procurar um oftalmologista para fazer um exame oftalmológico completo, e se apresentar sintomas de visão dupla, procurar um especialista na área de Estrabismo”, disse.

Comentários

0 Comentários
Compartilhe

Karoline Fabroni

Gostou do artigo? Deixe aqui seu comentário.

%d blogueiros gostam disto: