fbpx
Circuito

Ultrassom na dermatologia: aliado em procedimentos clínicos e estéticos

O ultrassom é um exame de imagem que permite observar estruturas através de ondas de alta frequência, que ecoam e, como resposta, formam imagens em tempo real. É comum utilizar este tipo de exame para ver o funcionamento de órgãos como o coração, fígado, pulmões, útero… mas é o maior órgão do corpo humano, a pele, será que pode se beneficiar por este tipo de exame?

Na pele, por meio do ultrassom é possível examinar as suas camadas, bem como vasos sanguíneos. É possível estudar tumores e lesões de pele por todo o corpo, permitindo  mensurar também a espessura da pele.

Segundo a dermatologista Karina Mazzini, em lesões de pele o ultrassom pode ajudar no diagnóstico, na avaliação e no tratamento. “Podemos, por exemplo, diferenciar a composição da lesão e saber a exata localização de acordo com as camadas da pele. Com uma análise somente clínica, essas lesões poderiam ser erroneamente confundidas e mal interpretadas”, diz a médica.

Outra aplicabilidade é na identificação dos diferentes cânceres de pele. “A ultrassonografia aponta se estamos diante de um tumor mais ou menos agressivo e a espessura da lesão, além de contribuir para o planejamento da cirurgia de retirada, uma vez que o médico saberá precisamente a área a ser tratada”, afirma Karina.

Além disso, o exame também favorece o monitoramento do pós-cirúrgico. Karina explica que o ultrassom permite uma “leitura da pele” que funciona como um braço direito do dermatologista tanto para identificar doenças como para auxiliar em procedimentos estéticos. “O ultrassom permite verificar a diferenciação de alguns tipos de preenchedores cutâneos, como ácido hialurônico”, completa Karina.

A tecnologia de ondas do ultrassom chegou também para equipamentos que auxiliam na  busca da beleza. “Na dermatologia temos também outro tipo de ultrassom, que é o micro e macro focado. Este auxilia a reduzir a flacidez e a gordura localizada e combater os efeitos do envelhecimento no corpo e no rosto”, explica ela.

A dermatologista Irene Baldi explica que o ultrassom Micro e Macro Focado são tratamentos que foram desenvolvidos com o intuito de proporcionar um efeito de lifting de forma não invasiva e não cirúrgica. “Esta tecnologia utiliza o calor para promover uma melhora na flacidez, as ondas conseguem penetrar nas camadas mais profundas da pele e assim, mapeiam a estrutura onde é necessário o tratamento”, explica a dermatologista.

O Ultrassom Micro focado é utilizado para  tratar pequenas áreas como rosto e pescoço, já o macro, como o nome já diz para regiões maiores, como braços, abdômen, etc. Utilizamos muito este tratamento com bioestimuladores que agregam ainda mais no resultado desejado, destaca Irene.

Comentários

0 Comentários
Compartilhe

Criar Comunicacao

Gostou do artigo? Deixe aqui seu comentário.

%d blogueiros gostam disto: